É a primeira vez que viajas para Cuba? Encontra aqui tudo o que precisas de saber antes de partir!

Habana Vieja

1. INTERNET

Esta é uma questão que toca a todos 🙂 Hoje em dia vivemos dependentes da Internet, seja por questões de trabalho, seja para contactar familiares e amigos distantes, seja por dependência das redes sociais. É complicado ficar-se desconectado quando se vive num tempo de conexão global. Mesmo nos melhores hotéis de Cuba o serviço não é bom. No Nacional de Cuba, cada quarto tinha direito a uma senha de internet (independentemente dos hóspedes por quarto) e cada um poderia conectar-se de cada vez. Este serviço era gratuito mas na maioria dos hotéis e nas cidades do interior, é necessário pagar o acesso à internet (que não vai ser ótimo) Podes, também, comprar cartões de wifi a vendedores ambulantes por 2 CUC. Costumam estar nos parques com wifi. Em Havana, por exemplo, vais encontrar na Plaza del Cristo e em frente à Floridita. É engraçado encontrar tanta gente nestas praças, ao final do dia a tentar ligar-se à internet.

 

 

2. PRECISAS DE VISTO E DE SEGURO DE VIAGEM

 

Os visitantes de Cuba precisam de um passaporte válido por pelo menos seis meses para além da duração pretendida da estadia e um visto de turismo. Vais também precisar de um seguro de viagem e neste caso não vale a pena facilitar. É sempre importante termos um seguro de viagem quando viajamos. Muita gente não sabe, mas alguns cartões de crédito têm seguros associados (deves informar-te com o teu banco). O seguro de viagem faz parte dos documentos obrigatórios para entrar em Cuba. Não mo pediram à chegada, mas poderiam tê-lo feito e podem negar entrada na ausência deste documento. E como nunca se sabe, mais vale prevenir do que remediar 🙂

 

3. IMPRIME OS TEUS DOCUMENTOS

 

Isto é algo que deves fazer sempre que viajas para fora da Europa. Podem pedir-te documentos do seguro de saúde à chegada no aeroporto, confirmação da tua reserva no hotel ou até a tua identificação quando estás a andar na rua. Por isso, não contes com a conexão à Internet para teres estes dados disponíveis. Imprime todos os documentos e guarda cópias para trazeres sempre contigo na carteira. Importante: Nunca andar com o passaporte no dia-a-dia. Deixar sempre no cofre do hotel e andar apenas com uma cópia deste documento.

 

 

4. CUBA TEM DUAS MOEDAS 

 

Confirma SEMPRE em qual das moedas te pedem para pagar. Os cubanos dizem, simplesmente, “pesos” sem especificar se é CUC ou CUP. Podes perguntar se é para pagar em CUC ou na moeda nacional. Deves sempre certificar-te a qual das duas se estão a referir porque o valor é bastante diferente. (Para saberes mais acerca deste assunto vê o meu post aqui)

 

 

 

5. LEVA DINHEIRO E NÃO DEPENDAS DOS CARTÕES DE CRÉDITO

 

Em Cuba, apenas alguns estabelecimentos aceitam cartões de crédito ou débito. Há uma taxa de 10% sobre a troca de dólares americanos, por isso é bem melhor levares euros. Lê mais aqui (post moeda)

 

6. ATENÇÃO AOS ESQUEMAS PARA TURISTAS

 

Havana não é uma cidade perigosa mas os esquemas para enganar turistas são comuns. Podem pedir-te dinheiro em troca de informações, podem querer “recomendar” um restaurante ou até pedir-te leite! Sim.. leite para as crianças que estão em casa e têm fome. A verdade é que o governo cubano fornece leite as todas as famílias com crianças em idade inferiores a 9 anos. Levam-te para uma loja que cobra 2 ou 3 vezes o preço do leite, com o lucro a ser dividido entre a suposta mãe da criança e o funcionário. Outra tentativa de golpe frequente está relacionada com os charutos. Nunca compres de ninguém que tenta vender-tos na rua ou que te quer levar a um local onde são mais baratos – muito provável que sejam falsificações. É frequente querer-se levar charutos de Cuba como souvenir e, se for o caso, deves comprá-los em lojas oficiais.

 

 

7. EL BLOQUEIO

 

O embargo que os EUA impôs contra Cuba, impede a maioria das trocas comerciais, o envio de alimentos, proíbe viagens de americanos para a ilha e pune empresas americanas e estrangeiras vinculadas ao país, caso tenham relações financeiras com Cuba. É por isso que vais ver imensos carros dos anos 60. Os veículos novos são bastante difíceis de obter pelo que, na maioria, são antigos e consertados. O embargo é considerado o mais longo da história contemporânea, com mais de 60 anos de duração.

 

 

 

8. QUASE NÃO EXISTEM MARCAS FAMILIARES

 

Devido a restrições ao comércio, derivadas do embargo americano, não verás muitas marcas conhecidas em Cuba. Podes, ocasionalmente, conseguir encontrar Coca-Cola ou cerveja Heineken muito ocasionalmente. Na maioria das vezes vais comer e beber produtos locais.

 

 

9. FAZ DOWNLOAD DAS APLICAÇÕES NO TELEMÓVEL ANTES DE VIAJARES

 

Muitas aplicações podem ser usadas em Cuba mas não podem ser descarregadas dentro do país. Dou-te  exemplo da aplicação da GoPro que não consegui descarregar enquanto lá estive. Algumas das aplicações mais úteis que deves descarregar antes incluem WhatsApp e o Maps.Me por exemplo.

 

10. CERTIFICA-TE QUE LEVAS TUDO O QUE PRECISAS

 

Em Cuba, é difícil comprar artigos essenciais do dia-a-dia, como pasta de dentes, champô ou medicação. Leva contigo tudo aquilo que sabes que vais precisar – inclui, pelo menos, um adaptador de tomada na tua lista.

 

 

Habana Vieja

1. INTERNET

Esta é uma questão que toca a todos 🙂 Hoje em dia vivemos dependentes da Internet, seja por questões de trabalho, seja para contactar familiares e amigos distantes, seja por dependência das redes sociais. É complicado ficar-se desconectado quando se vive num tempo de conexão global. Mesmo nos melhores hotéis de Cuba o serviço não é bom. No Nacional de Cuba, cada quarto tinha direito a uma senha de internet (independentemente dos hóspedes por quarto) e cada um poderia conectar-se de cada vez. Este serviço era gratuito mas na maioria dos hotéis e nas cidades do interior, é necessário pagar o acesso à internet (que não vai ser ótimo) Podes, também, comprar cartões de wifi a vendedores ambulantes por 2 CUC. Costumam estar nos parques com wifi. Em Havana, por exemplo, vais encontrar na Plaza del Cristo e em frente à Floridita. É engraçado encontrar tanta gente nestas praças, ao final do dia a tentar ligar-se à internet.

 

 

2. PRECISAS DE VISTO E DE SEGURO DE VIAGEM

 

Os visitantes de Cuba precisam de um passaporte válido por pelo menos seis meses para além da duração pretendida da estadia e um visto de turismo. Vais também precisar de um seguro de viagem e neste caso não vale a pena facilitar. É sempre importante termos um seguro de viagem quando viajamos. Muita gente não sabe, mas alguns cartões de crédito têm seguros associados (deves informar-te com o teu banco). O seguro de viagem faz parte dos documentos obrigatórios para entrar em Cuba. Não mo pediram à chegada, mas poderiam tê-lo feito e podem negar entrada na ausência deste documento. E como nunca se sabe, mais vale prevenir do que remediar 🙂

 

3. IMPRIME OS TEUS DOCUMENTOS

 

Isto é algo que deves fazer sempre que viajas para fora da Europa. Podem pedir-te documentos do seguro de saúde à chegada no aeroporto, confirmação da tua reserva no hotel ou até a tua identificação quando estás a andar na rua. Por isso, não contes com a conexão à Internet para teres estes dados disponíveis. Imprime todos os documentos e guarda cópias para trazeres sempre contigo na carteira. Importante: Nunca andar com o passaporte no dia-a-dia. Deixar sempre no cofre do hotel e andar apenas com uma cópia deste documento.

 

 

4. CUBA TEM DUAS MOEDAS 

 

Confirma SEMPRE em qual das moedas te pedem para pagar. Os cubanos dizem, simplesmente, “pesos” sem especificar se é CUC ou CUP. Podes perguntar se é para pagar em CUC ou na moeda nacional. Deves sempre certificar-te a qual das duas se estão a referir porque o valor é bastante diferente. (Para saberes mais acerca deste assunto vê o meu post aqui)

 

 

 

5. LEVA DINHEIRO E NÃO DEPENDAS DOS CARTÕES DE CRÉDITO

 

Em Cuba, apenas alguns estabelecimentos aceitam cartões de crédito ou débito. Há uma taxa de 10% sobre a troca de dólares americanos, por isso é bem melhor levares euros. Lê mais aqui (post moeda)

 

6. ATENÇÃO AOS ESQUEMAS PARA TURISTAS

 

Havana não é uma cidade perigosa mas os esquemas para enganar turistas são comuns. Podem pedir-te dinheiro em troca de informações, podem querer “recomendar” um restaurante ou até pedir-te leite! Sim.. leite para as crianças que estão em casa e têm fome. A verdade é que o governo cubano fornece leite as todas as famílias com crianças em idade inferiores a 9 anos. Levam-te para uma loja que cobra 2 ou 3 vezes o preço do leite, com o lucro a ser dividido entre a suposta mãe da criança e o funcionário. Outra tentativa de golpe frequente está relacionada com os charutos. Nunca compres de ninguém que tenta vender-tos na rua ou que te quer levar a um local onde são mais baratos – muito provável que sejam falsificações. É frequente querer-se levar charutos de Cuba como souvenir e, se for o caso, deves comprá-los em lojas oficiais.

 

 

7. EL BLOQUEIO

 

O embargo que os EUA impôs contra Cuba, impede a maioria das trocas comerciais, o envio de alimentos, proíbe viagens de americanos para a ilha e pune empresas americanas e estrangeiras vinculadas ao país, caso tenham relações financeiras com Cuba. É por isso que vais ver imensos carros dos anos 60. Os veículos novos são bastante difíceis de obter pelo que, na maioria, são antigos e consertados. O embargo é considerado o mais longo da história contemporânea, com mais de 60 anos de duração.

 

 

 

8. QUASE NÃO EXISTEM MARCAS FAMILIARES

 

Devido a restrições ao comércio, derivadas do embargo americano, não verás muitas marcas conhecidas em Cuba. Podes, ocasionalmente, conseguir encontrar Coca-Cola ou cerveja Heineken muito ocasionalmente. Na maioria das vezes vais comer e beber produtos locais.

 

 

9. FAZ DOWNLOAD DAS APLICAÇÕES NO TELEMÓVEL ANTES DE VIAJARES

 

Muitas aplicações podem ser usadas em Cuba mas não podem ser descarregadas dentro do país. Dou-te  exemplo da aplicação da GoPro que não consegui descarregar enquanto lá estive. Algumas das aplicações mais úteis que deves descarregar antes incluem WhatsApp e o Maps.Me por exemplo.

 

10. CERTIFICA-TE QUE LEVAS TUDO O QUE PRECISAS

 

Em Cuba, é difícil comprar artigos essenciais do dia-a-dia, como pasta de dentes, champô ou medicação. Leva contigo tudo aquilo que sabes que vais precisar – inclui, pelo menos, um adaptador de tomada na tua lista.

 

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]  

Esta ilha mágica continua a estar presente em muitas bucket lists e é fácil de perceber porquê. É um país que se destaca pela sua beleza e simplicidade, pela boa disposição do povo, pelas cores nas ruas, pela energia e pelas praias paradisíacas. Mas há muita coisa que deves ter em conta antes de viajar. Sabias que o acesso à internet é péssimo? Que os cartões de crédito não são aceites na maioria dos estabelecimentos? Que existe um sistema de moeda dupla e que o mais certo é dares por ti no meio de um esquema de burla? Cuba não é o lugar mais fácil para viajar e por isso deixo uma série de dicas e informações que te vão ser bastante úteis 

Habana Vieja

1. INTERNET

Esta é uma questão que toca a todos 🙂 Hoje em dia vivemos dependentes da Internet, seja por questões de trabalho, seja para contactar familiares e amigos distantes, seja por dependência das redes sociais. É complicado ficar-se desconectado quando se vive num tempo de conexão global. Mesmo nos melhores hotéis de Cuba o serviço não é bom. No Nacional de Cuba, cada quarto tinha direito a uma senha de internet (independentemente dos hóspedes por quarto) e cada um poderia conectar-se de cada vez. Este serviço era gratuito mas na maioria dos hotéis e nas cidades do interior, é necessário pagar o acesso à internet (que não vai ser ótimo) Podes, também, comprar cartões de wifi a vendedores ambulantes por 2 CUC. Costumam estar nos parques com wifi. Em Havana, por exemplo, vais encontrar na Plaza del Cristo e em frente à Floridita. É engraçado encontrar tanta gente nestas praças, ao final do dia a tentar ligar-se à internet.

 

 

2. PRECISAS DE VISTO E DE SEGURO DE VIAGEM

 

Os visitantes de Cuba precisam de um passaporte válido por pelo menos seis meses para além da duração pretendida da estadia e um visto de turismo. Vais também precisar de um seguro de viagem e neste caso não vale a pena facilitar. É sempre importante termos um seguro de viagem quando viajamos. Muita gente não sabe, mas alguns cartões de crédito têm seguros associados (deves informar-te com o teu banco). O seguro de viagem faz parte dos documentos obrigatórios para entrar em Cuba. Não mo pediram à chegada, mas poderiam tê-lo feito e podem negar entrada na ausência deste documento. E como nunca se sabe, mais vale prevenir do que remediar 🙂

 

3. IMPRIME OS TEUS DOCUMENTOS

 

Isto é algo que deves fazer sempre que viajas para fora da Europa. Podem pedir-te documentos do seguro de saúde à chegada no aeroporto, confirmação da tua reserva no hotel ou até a tua identificação quando estás a andar na rua. Por isso, não contes com a conexão à Internet para teres estes dados disponíveis. Imprime todos os documentos e guarda cópias para trazeres sempre contigo na carteira. Importante: Nunca andar com o passaporte no dia-a-dia. Deixar sempre no cofre do hotel e andar apenas com uma cópia deste documento.

 

 

4. CUBA TEM DUAS MOEDAS 

 

Confirma SEMPRE em qual das moedas te pedem para pagar. Os cubanos dizem, simplesmente, “pesos” sem especificar se é CUC ou CUP. Podes perguntar se é para pagar em CUC ou na moeda nacional. Deves sempre certificar-te a qual das duas se estão a referir porque o valor é bastante diferente. (Para saberes mais acerca deste assunto vê o meu post aqui)

 

 

 

5. LEVA DINHEIRO E NÃO DEPENDAS DOS CARTÕES DE CRÉDITO

 

Em Cuba, apenas alguns estabelecimentos aceitam cartões de crédito ou débito. Há uma taxa de 10% sobre a troca de dólares americanos, por isso é bem melhor levares euros. Lê mais aqui (post moeda)

 

6. ATENÇÃO AOS ESQUEMAS PARA TURISTAS

 

Havana não é uma cidade perigosa mas os esquemas para enganar turistas são comuns. Podem pedir-te dinheiro em troca de informações, podem querer “recomendar” um restaurante ou até pedir-te leite! Sim.. leite para as crianças que estão em casa e têm fome. A verdade é que o governo cubano fornece leite as todas as famílias com crianças em idade inferiores a 9 anos. Levam-te para uma loja que cobra 2 ou 3 vezes o preço do leite, com o lucro a ser dividido entre a suposta mãe da criança e o funcionário. Outra tentativa de golpe frequente está relacionada com os charutos. Nunca compres de ninguém que tenta vender-tos na rua ou que te quer levar a um local onde são mais baratos – muito provável que sejam falsificações. É frequente querer-se levar charutos de Cuba como souvenir e, se for o caso, deves comprá-los em lojas oficiais.

 

 

7. EL BLOQUEIO

 

O embargo que os EUA impôs contra Cuba, impede a maioria das trocas comerciais, o envio de alimentos, proíbe viagens de americanos para a ilha e pune empresas americanas e estrangeiras vinculadas ao país, caso tenham relações financeiras com Cuba. É por isso que vais ver imensos carros dos anos 60. Os veículos novos são bastante difíceis de obter pelo que, na maioria, são antigos e consertados. O embargo é considerado o mais longo da história contemporânea, com mais de 60 anos de duração.

 

 

 

8. QUASE NÃO EXISTEM MARCAS FAMILIARES

 

Devido a restrições ao comércio, derivadas do embargo americano, não verás muitas marcas conhecidas em Cuba. Podes, ocasionalmente, conseguir encontrar Coca-Cola ou cerveja Heineken muito ocasionalmente. Na maioria das vezes vais comer e beber produtos locais.

 

 

9. FAZ DOWNLOAD DAS APLICAÇÕES NO TELEMÓVEL ANTES DE VIAJARES

 

Muitas aplicações podem ser usadas em Cuba mas não podem ser descarregadas dentro do país. Dou-te  exemplo da aplicação da GoPro que não consegui descarregar enquanto lá estive. Algumas das aplicações mais úteis que deves descarregar antes incluem WhatsApp e o Maps.Me por exemplo.

 

10. CERTIFICA-TE QUE LEVAS TUDO O QUE PRECISAS

 

Em Cuba, é difícil comprar artigos essenciais do dia-a-dia, como pasta de dentes, champô ou medicação. Leva contigo tudo aquilo que sabes que vais precisar – inclui, pelo menos, um adaptador de tomada na tua lista.

 

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]
No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.