BULGARIA

O Parlenka bread e a Shopska salad fazem parte dos argumentos búlgaros para te convencer a adorar este país. À comida, juntam-se os preços baixos e as belezas naturais banhadas pelo Mar Negro debaixo de um calor intenso que pode chegar aos 40 graus durante o verão. Tenho a sorte de ter uma amiga que nasceu na Bulgária e que me convidou para passar uns dias na casa de família, em Albena. A verdade, é que se não tivesse recebido este convite não teria posto este destino na minha wishlist para viagens próximas – e que erro estaria a cometer!!

A Bulgária é um país seguro, mesmo nas zonas de maior afluência de turistas. Os melhores meses para visitar são entre maio a setembro, sendo a alta temporada entre os meses de julho e agosto – habitualmente mais quentes.

As praias são consideradas património da humanidade pela Unesco e estendem-se por quase 400km de costa, com hotéis e boas estruturas de apoio ao longo da sua extensão. Existem praias para todo o tipo de viajantes, desde zonas com mais movimento para jovens e amantes da diversão nocturna, a zonas mais calmas, semi-desertas para famílias com crianças. A temperatura da água ronda os 25 graus e quase não há ondulação.

ALBENA

Ficámos 2 noites na zona de Albena, ideal para viagens em família por ficar ficar numa área tranquila, com muito verde e longe da superlotação de outras praias búlgaras.

Praia:

  • Albena Resort
  • Thracian Cliffs

Restaurantes:

  • Regina Maria  (Balchick)
  • Capitan Cook (Varna)

GOLDEN SANDS

Esta zona, facilmente acessível a partir do aeroporto de Varna, é uma praia muito popular tanto  para grupos de jovens como para famílias por existirem diversas opções de entretenimento. Ficámos duas noites instalados no International Casino and Tower Suites. A rua principal é repleta de clubes, casinos, restaurantes e bares, mais uma vez com preços apetecíveis.

SABIAS QUE…

  • Na hotelaria e na restauração é usual deixar uma gorjeta, já que os salários são baixos.
  • A maior parte das praias, tem as zonas junto à beira-mar repletas de espreguiçadeiras que pertencem a hotéis e restaurantes, pelo que são, na sua maioria, pagos.
  • Os gestos de sim e não são o contrário do que estamos acostumados. Assim, por exemplo, para dizer que não, as pessoas mexem a cabeça para cima e para baixo.

E agora? Para quando a tua visita à Riviera Búlgara?

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.